Intendente Shopping Car

Todas as lojas em um só lugar
  • +5000 Carros Vendidos por mês
  • +150 Revendas de Automóveis
  • +10000 Carros em Estoque

Últimas Notícias

Motoristas de caminhão, ônibus e van sem exame toxicológico em dia vão levar multa de R$ 1.467, alerta Detran

Punição entra em vigor na sexta-feira (12). Medida foi aprovada em 2020, mas teve que ser adiada por causa da pandemia. O exame toxicológico é realizado por meio de amostras de cabelo, pelo ou unhas Reprodução/JN A partir de sexta-feira (12), os motoristas de caminhão, ônibus e vans que não estiverem com o exame toxicológico em dia serão multados automaticamente e deverão pagar R$ 1.467,35. O alerta, feito pelo Departamento de Trânsito de Pernambuco (Detran-PE), vale para quem tem Carteira Nacional de Habilitação dos tipos C, D ou E. Tire dúvidas sobre o exame toxicológico Segundo o Detran, a punição está prevista pela Lei 14.071/20, aprovada em outubro de 2020. Essa medida foi adiada por causa do novo coronavírus. De acordo com o Código Brasileiro de Trânsito (CTB), condutores destas categorias, com menos de 70 anos, devem ser submetidos ao novo exame a cada dois anos e seis meses. O motorista que for flagrado conduzindo veículos que exijam habilitação nessas categorias, sem realizar o exame toxicológico após 30 dias do vencimento do prazo, cometerá uma infração gravíssima. A multa atinge os condutores com a carteira vencida ou que vai vencer em 2021, bem como em 2022 e 2023. O Detran alerta que, caso o condutor seja parado em fiscalizações na cidade ou em rodovias e ainda estiver com o exame vencido, sofrerá outra punição. De acordo com o artigo 165 B do código, além da multa durante fiscalizações, o veículo conduzido pelo motorista com o exame vencido pode ser recolhido até apresentação de novo condutor habilitado e com exame válido. O motorista autuado também perde, por 90 dias, o direito de dirigir. O exame é obrigatório para os motoristas das categorias C, D e E, que exercem atividade remunerada. O exame toxicológico é realizado por meio de amostras de cabelo, pelo ou unhas verificando o consumo, ativo ou não, de substâncias psicoativas, com análise retroativa mínima de 90 (noventa) dias. O material deve ser coletado em laboratórios credenciados, com valor adotado conforme livre concorrência, conforme o Detran. Veja vídeos de PE mais assistidos em sete dias
Primeiro 'UTV' do Brasil com a tecnologia do nióbio é criado em parceria com empresa de Araxá

Veículos são usados em competições off-road; CBMM e Giaffone Racing desenvolveram utilitário 10% mais leve, resultando em economia de combustível e maior vida útil dos componentes. UTV EXO Nb CBMM/Divulgação A CBMM, empresa de Araxá líder mundial na produção e fornecimento de produtos de nióbio, e a Giaffone Racing, especializada na produção de carros e motores de competição, desenvolveram os primeiros "UTVs" produzidos no Brasil com a tecnologia do nióbio. A sigla UTV vem de "Utility Task Vehicle", em tradução livre para o português, veículo utilitário multitarefas. Esse tipo de carro é usado em competições off-road. Já o nióbio, é um elemento químico usado como liga na produção de aços e quando adicionado na proporção de gramas por tonelada de aço, a liga se torna muito mais forte e maleável. Estrutura do UTV EXO Nb CBMM/Divulgação Graças a adoção de materiais que contam com adição de nióbio os utilitários multitarefas EXO Nb têm estruturas ultra resistentes e são até 10% mais leves que os concorrentes. Com isso, além de atingir maior velocidade em menor tempo, os novos UTVs também apresentam ganhos em resistência e no custo operacional, resultando em economia de combustível e maior vida útil dos componentes. Parceria A parceria teve início com um teste da aplicação de aço microligado com nióbio nos veículos já produzidos pela Giaffone Racing. “A parceria contou com uma intensa troca de tecnologia e conhecimento. A aplicação de produtos de nióbio impactou em uma melhora significativa na performance do veículo”, falou Érico França, analista de desenvolvimento de mercado da CBMM, que acompanhou o desenvolvimento do projeto pioneiro no Brasil. Interior do novo UTV EXO Nb CBMM/Divulgação “O desafio agora é desenvolver a versão híbrida, pois é um mundo totalmente novo para nós e um processo bastante complexo, mas estamos confiantes e empenhados em promover evoluções para o motorsport brasileiro”, disse Zeca Giaffone, diretor da Giaffone Racing. Versões Além da versão de motorização a etanol, a linha Exo Nb conta com uma versão híbrida (etanol e elétrica), o Exo Nb-Hybrid, que será a principal atração tecnológica do Sertões 2021, o maior rally das Américas, que acontece de 12 a 22 de agosto, com largada inédita da praia da Pipa, no Rio Grande do Norte. “Além desta nova linha de UTVs pretendemos ainda incorporar a versão totalmente elétrica ao longo das próximas edições do Sertões, mostrando que podemos sim desenvolver tecnologias no país, com a união de empresas inovadoras e genuinamente brasileiras”, contou Giuliano Michel Fernandes, gerente de marketing e comunicação da CBMM. UTV EXO Nb CBMM/Divulgação VÍDEOS: veja tudo sobre o Triângulo, Alto Paranaíba e Noroeste de Minas
Produção de motos no Polo Industrial de Manaus fecha março com alta de 116,4%

Volume também é 22,1% maior na comparação com o mesmo mês do ano passado. Produção de motos no Polo Industrial de Manaus fecha fevereiro com alta de 116,4% Gabriel Machado Dados da Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares (Abraciclo) apontam que crescimento de 116,4% na fabricação de veículos em março na comparação com fevereiro. O volume também é 22,1% maior na comparação com o mesmo mês do ano passado (102.865 unidades). Em março foram fabricadas 125.556 motocicletas, enquanto que no mês anterior foram 58.014 unidades. Já em março de 2020, o volume de produção foi 102.865 unidades. Por outro lado, de acordo com a Abraciclo, houve um menor volume de produção nos meses de janeiro e fevereiro, no entanto, devido ao agravamento da crise sanitária na cidade de Manaus, que impactou o desempenho do setor no primeiro trimestre. No acumulado do ano, saíram das linhas de montagem 237.201 motocicletas, o que corresponde a uma queda de 20,3% em relação ao mesmo período do ano passado, que foi de 297.599 unidades. Vendas no varejo Em março, foram licenciadas 62.262 motocicletas, alta de 8,5% na comparação com fevereiro, quando foram emplacadas 57.384 unidades. Em relação ao mesmo mês de 2020, que teve 75.372 unidades comercializadas, houve retração de 17,4%. Com 29.504 unidades e 47,4% de participação no mercado, a Street foi a categoria mais emplacada em março. Na sequência, vieram a Trail (12.273 unidades e 19,7% de participação) e a Motoneta (7.948 unidades e 12,8%). Confira o ranking mensal: No primeiro trimestre, os emplacamentos totalizaram 205.444 unidades, volume 16,8% inferior às 246.848 motocicletas licenciadas no mesmo período do ano passado. As posições no ranking por categorias foram as mesmas apuradas no levantamento mensal: Street, em primeiro lugar, com 98.676 unidades e 48% de participação do mercado, seguida pela Trail (40.088 e 19,5% do mercado) e Motoneta (28.037 unidades e 13,6%). Com 23 dias úteis, a média diária de vendas em março foi de 2.707 motocicletas – é o pior resultado para o mês, desde 2003, que registrou 3.240 emplacamentos/dia. De acordo com levantamento da Abraciclo, na comparação com fevereiro que teve 20 dias úteis, houve queda de 5,6% (2.869 motocicletas emplacadas/dia). Em relação a março do ano passado, com 22 dias úteis, a queda foi de 21% (3.426 emplacamentos diários). Veja os vídeos mais assistidos do Amazonas